Eu versejo por todos os tempos e templos, por todas as épocas, tal qual um vampiro reinventando sua imortalidade... quero beber-te vermelho e tornar-te imortal... Boa Morte!

quarta-feira, 5 de novembro de 2008

De Cima.

Não eram só os sons das alpercatas de couro a atritar as pedras gastas da ladeira, nem mesmo o ritmo quase caribenho que, vez por outra, emanava das tabernas daquele centro histórico, quiçá o vento almíscar de maresia que subia por entre os casaris coloridos... Sob um forte aroma citroadocicado que ascendia o terreno íngreme de encontro aos descendentes, sentia-se frio o suor quente que escorria manso por têmporas e nucas, recebia-se os brejeiros sorrisos cabrochos, vislumbravam-se os quadris ritmados por gingados hereditários, os olhares convidativos das esquinas, a precisão do talhe dos corpos mulatos... Descendo a ladeira e subindo a temperatura, como que mais e mais úmido e tépido. Mantra, Incenso, dança, sensualidade. O verão chegara àquela terra e os corpos buscavam à beber-se numa sede infernal de vida. A única certeza, entretanto, era a descida, nada mais.

4 comentários:

Sandra Virgínia disse...

MA RA VI LHO SO!!!
Adoro a sinestesia que vc coloca no que escreve...dá p sentir o gosto salgado do suor, a quentura do sol, a malemolência dos personagens...vc consegue transpor para o "papel" sensações que afloram tão somente com a a leitura!Senti-me aspirando o cheiro ocre do sabão das lavadeiras no Cortiço de Aluísio de Azevedo!

Camila disse...

Meu Deus tenho mais um amigo poeta!! na verdade eu já sabia afinal sou um dos ícones, prova viva no que se diz do poema: "De repente amigos". Idealizei toda a cena extremamente poética e fui capaz de por um momento me inserir nela, é isso que faz da poesia uma mágica, e nas mãos certas um sucesso!
Beijus amigo, e parabéns!
Tá muito linda.
Camila Wicca.

Anônimo disse...

Jura, encontro-me sem palavras, mas não podia deixar de comentar. Uma bela poesia Meu Amigoo! Senti cada palavra, revir a bela bahia que aqui não tenhoo (se axouu com isso né? mais aki é bahia tb..rs). Fiquei com minha imaginação, a pele mais queimada mais bahiana do que nunca.... um balançando incrivel, saudosa!

Anônimo disse...

Jura, encontro-me sem palavras, mas não podia deixar de comentar. Uma bela poesia Meu Amigoo! Senti cada palavra, revir a bela bahia que aqui não tenhoo (se axouu com isso né? mais aki é bahia tb..rs). Fiquei com minha imaginação, a pele mais queimada mais bahiana do que nunca.... um balançando incrivel, saudosa!